Por Edgar Santista – O Bom filho a casa torna

 Santos fecha com Elano pelo sonho do tri da Libertadores

Meia, que estava no Galatasaray (TUR), volta para o clube onde explodiu, por um projeto ambicioso para a Libertadores

Um time com duas gerações vencedoras de Meninos da Vila. É possível? Nesta terça-feira, o Santos concretizou o sonho e fechou com Elano para disputar a Libertadores de 2011. O meia foi contratado pelo valor de 2,9 milhões de euros (R$ 6,4 milhões) e, assim como Robinho em 2010, será a principal atração do Peixe para o próximo ano. O vínculo é válido até o dia 31 de dezembro de 2012.

 O anúncio foi feito pelo Galatasaray (TUR), em seu site oficial. Para trazer Elano, o Peixe montou uma operação semelhante a feita para ter o Rei do Drible, quando enviou uma comissão à Manchester. No meio do ano, o clube fez algo semelhante para ter Keirrison. Dessa vez, Pedro Luiz Conceição, diretor de futebol, e Luciano Moita, diretor do departamento jurídico, viajaram para Istambul e bateram o martelo nesta terça-feira com os turcos. Antes mesmo do acerto com o Galatasaray (TUR), o LANCE!NET apurou que Elano e Santos já tinham um acerto, faltando apenas a liberação para anunciar o jogador.

 O jogador receberá cerca de R$ 500 mil, o clube comprou 50% dos direitos econômicos do atletas. De volta ao Brasil, ficará mais perto de alcançar seu objetivo de voltar a ser convocado para a Seleção Brasileira. Desde o fracasso na Copa do Mundo de 2010 e a consequente troca de comando de Dunga por Mano Menezes, ele não teve mais chances. Pelo Peixe, o meio-campista foi vice-campeão da própria Libertadores, em 2003, além de levar dois brasileiros, em 2002 e 2004. O jogador foi vendido no começo de 2005, para o Shakhtar Donetsk (UCR). No Alvinegro, terá a companhia de seu amigo pessoal e padrinho de casamento, o zagueiro Edu Dracena, que já havia falado anteriormente da vontade do atleta de retornar ao Santos.

 Elano é o primeiro grande reforço para a temporada. Recentemente, o presidente Luis Álvaro afirmou que o Santos anunciaria um grande reforço em até 20 dias. Uma vez mais, o sonho distante virou realidade. Confira a ficha de Elano Nome: Elano Ralph Blumer Nascimento: 14 de junho de 1981, 29 anos Local: Iracemápolis (SP) Altura: 1,75 m Peso: 70 kg Clubes: 2000 a 2005 – Santos 2005 a 2007 – Shakhtar Donetsk (UCR) 2007 a 2009 – Manchester City (ING) 2009 a 2010 – Galatasaray (TUR) Títulos: Santos Campeonato Brasileiro – 2002 e 2004 Shakhtar Donetsk (UCR) Campeonato Ucraniano – 2005 e 2006 Supercopa da Ucrânia – 2005 Seleção Brasileira Copa América – 2007 Copa das Confederações – 2009 Elano em ação pelo Santos no Paulistão de 2005 (Foto: Ivan Storti)

Fonte. Lancenet.com

Por Silvana – Barcelona é eleito o melhor time do século 21; São Paulo é o primeiro brasileiro

Fonte: Uol Esportes

A IFFHS (sigla em inglês para Federação de História e Estatística do Futebol) divulgou nesta terça-feira mais um de seus rankings. Desta vez, a entidade baseada na Alemanha listou os melhores times do século 21 no desfecho de sua primeira década. O Barcelona encabeça a relação, enquanto que o São Paulo aparece como o melhor brasileiro colocado.

DEZ BRASILEIROS NA LISTA

12º. São Paulo – 1909 pontos
23º. Cruzeiro – 1592 pontos
26º. Santos – 1539 pontos
38º. Inter – 1429 pontos
54º. Grêmio – 1313 pontos
56º. Flamengo – 1310 pontos
59º. Corinthians – 1298 pontos
64º. Fluminense – 1261 pontos
88º. Palmeiras – 1080 pontos
103º. Atlético-PR – 1012 pontos

Em análise que leva em conta o desempenho das equipes nas competições nacionais e internacionais na década, o Barcelona somou 2459 pontos e ficou à frente de Manchester, Liverpool, Arsenal e Inter de Milão, que completam o Top 5, nesta ordem.

Milan, Bayern, Real Madrid, Chelsea e Boca Juniors completam a relação dos dez primeiros colocados.

O São Paulo é o melhor time brasileiro na lista, ocupando a 12ª colocação (1909 pontos). Em seguida, o Cruzeiro desponta na 23ª posição, três lugares à frente do Santos.

Antes de tentar o bicampeonato do Mundial de Clubes em Abu Dhabi em dezembro, o Internacional, em 38º, é a última equipe do país a integrar o Top 50.

A seguir, outras equipes do Brasil que aparecem citadas entre as melhores do mundo na primeira década do século vigente: Grêmio (54º lugar), Flamengo (56º), Corinthians (59º), Fluminense (64º) e Palmeiras (88º).

Confira a lista completa da IFFHS no site da entidade internacional.

Comentário por Silvana sãopaulina da equipe ICFUT – Queira ou não queira TRICOLOR SOBERANO…o 12º melhor do MUNDO …. Ainda seremos o PRIMEIRO… !!!! Coisa linda de Deus !!!!

Por Cleber Aguiar – Cruzeiro torce por rebaixados!

Fonte: O Estado de São Paulo

Cuca agora torce pelos rebaixados

Cruzeiro depende de Goiás e Guarani e técnico diz que as duas equipes podem salvar a honra e o brilho da competição

Eduardo Kattah BELO HORIZONTE – O Estado de S.Paulo

O técnico Cuca, do Cruzeiro, resolveu fazer pressão sobre os rebaixados Goiás e Guarani, respectivos adversários de Corinthians e Fluminense na última rodada do Brasileiro. Ele disse ontem que o time goiano e o de Campinas “podem salvar a honra e o brilho de um campeonato inteiro””, numa velada referência às suspeitas de facilitação ou “entrega”” por parte de algumas equipes.

Na terceira posição, o Cruzeiro soma 66 pontos, um a menos que o Corinthians e dois atrás do líder Fluminense. Para levantar a taça, além de vencer o Palmeiras no domingo, em Sete Lagoas (MG), o time celeste depende de tropeço dos adversários diretos na briga pelo título.

Para Cuca, resta ao Cruzeiro fazer sua parte e “passar para Goiás e Guarani a esperança depositada no profissionalismo deles””. Ele disse confiar nos jogadores das duas equipes. “De repente Goiás e Guarani, times, na minha opinião, grandes, podem salvar a honra e o brilho de um campeonato inteiro, fazendo coisas que outros maiores não fizeram””, comentou. “Tenho certeza de que o pessoal lá vai lutar e jogar como se fosse uma decisão, porque todos são profissionais, têm brio.”” Cuca foi suspenso por dois jogos pelo STJD. Não pôde ficar no banco na vitória sobre o Flamengo e não deverá estar contra o Palmeiras, a menos que consiga efeito suspensivo. Mas o clube ainda não definiu se fará solicitação.

Por Éder – Timão otimista !

Fonte: O Estado de São Paulo

Corinthians adota discurso otimista

Jogadores ressaltam que competição ainda não está definida e aprovam eventual mala branca para o Guarani

Fábio Hecico – O Estado de S.Paulo

Erguer a taça por antecipação, ou com facilidade, não faz parte da história corintiana. As conquistas do Alvinegro sempre ocorrem no sacrifício, algumas com gols nada habituais e depois de enorme dose de sofrimento. Caso o time conquiste o Brasileiro no domingo, mais uma vez a festa será feita após superação: vitória diante do Goiás e tropeço do Fluminense contra o rebaixado Guarani. A dificuldade para erguer a taça se transformou em combustível para os jogadores, que aproveitaram a folga de ontem para demonstrar confiança em papo com a torcida via Twitter.

“Tudo para nós é mais sofrido, vamos para a última rodada para fazer a nossa parte e com chances de título”, escreveu o Fenômeno Ronaldo, que deve passar por exame nesta manhã para ver se a pequena lesão muscular cicatrizou e ele terá chances de atuar no domingo. O atacante fez muita festa com os gols da equipe domingo, diante do Vasco, no Pacaembu (2 a 0), e agora espera ajudar em campo. “Ninguém dá nada para o Corinthians. Tudo aqui é conquistado na raça”, diz o craque. Vale lembrar que o Guarani já prejudicou a vida do Corinthians num empate por 0 a 0 recentemente e, no primeiro turno, bateu o Fluminense, em Campinas, por 2 a 1.

O desempenho dos cariocas contra paulistas em seu estádio também serve para elevar o moral alvinegro. O líder do Campeonato Brasileiro não conseguiu superar as equipes de São Paulo como mandante. Perdeu para Corinthians (2 a 1) e Santos (3 a 0) e empatou com São Paulo (2 a 2), Palmeiras e Prudente (ambos por 1 a 1). “Esta semana é decisiva e importante. Eu sou brasileiro e não desisto nunca”, publicou o goleiro Júlio César, definindo-se como “corintiano, maloqueiro e sofredor”.

O volante Elias, que não encarou o Vasco por estar suspenso, seguiu o discurso de “retroceder nunca, render-se jamais”. “Parabéns à equipe… Três pontos (contra o Vasco) e ainda na briga, lutaremos até o fim.”

Ganhar no Serra Dourada não significa o título, mas garante o segundo lugar ao Corinthians, o que evitaria a repescagem da Libertadores com o representante 3 da Colômbia.

Vale o incentivo. Mesmo com o presidente Andrés Sanchez falando grosso e assegurando que o Alvinegro “não tem caixa 2 e não mandará incentivo ao Guarani” para tirar pontos do Fluminense, os jogadores não veem problemas em aposta na mala branca. “O que não se pode é pagar para perder. Não vejo problema nenhum em dar um incentivo para promover o espetáculo. Muitas coisas no futebol brasileiro precisam ser repensadas”, disse o capitão William, aprovando a conduta. “É claro que não será o dinheiro que vai fazer o Guarani vencer. A mala é secundária. O que incentiva o atleta é jogar futebol”, completou.

O atacante Dentinho também não vê problemas. “Se for para incentivar o Guarani a ganhar, vale. O que não pode é para perder. Não acho legal entregar jogo.”

Por José Reis – Dia de eleição no Fluminense.

Fonte: O Estado de São Paulo

No líder, pausa no futebol para dia de eleição tensa

Fluminense conhece hoje o novo presidente em votação que promete ser tumultuada. Time volta aos treinos após descanso

Leonardo Maia / RIO – O Estado de S.Paulo

Com o time do Fluminense à beira de conquistar um título brasileiro que não consegue há 26 anos, o clube das Laranjeiras dá uma pausa no Brasileiro para passar hoje por eleições para a escolha do novo presidente. Júlio Bueno, candidato apoiado pelo atual mandatário tricolor, e Peter Siemsen lutam para substituir Roberto Horcades para o próximo triênio. Siemsen recebe o suporte declarado do homem forte do patrocinador da agremiação, Celso Barros, e denuncia possíveis irregularidades no pleito. Os sócios poderão votar das 8 horas às 20 horas.

Segundo o advogado de 43 anos, sua candidatura havia recebido em julho uma lista com oito mil sócios aptos a votar. Agora, o clube apresentou uma listagem com 22 mil nomes. Por isso, o Ministério Público (MP) acompanhará a eleição hoje. Bueno, engenheiro de 55 anos, se mostra favorável à fiscalização. “Eu gostaria de ter o MP, a Interpol e a CIA fiscalizando”, ironizou.

O ponto central de discordância entre os candidatos é justamente a forma como se dá a relação com a Unimed, que injeta dinheiro há 12 anos. Júlio Bueno, diretor da Petrobrás, rejeita o rótulo de situação, apesar do apoio de Horcades, e promete resgatar a autonomia do clube na aplicação dos recursos. “Sou crítico da falta de autonomia de decisão do Fluminense. Entendemos que o patrocínio não pode pagar diretamente o jogador. Hoje você tem jogador que recebe em dia e outros que sofrem com atrasos. É uma falta de simetria insustentável a médio e longo prazo.”

Peter Siemsen, por sua vez, acha fundamental a extensão do casamento entre as partes, que considera de sucesso e cita os títulos da Copa do Brasil de 2007, os vice-campeonatos da Libertadores (2008) e da Sul-Americana (2009) e a boa campanha no Brasileiro deste ano.

Cautela. Na equipe, que ganhou folga ontem e volta aos treinos hoje, Muricy Ramalho pede cautela. “Ansiedade sempre existe e, por isso, os atletas têm de se cuidar física e mentalmente para diminuir isso.”

Por Cleber Aguiar – Enquanto isso no Guarani…

Fonte: O Estado de São Paulo

Guarani vê jogo com Flu como vitrine

Presidente promete manter jogadores até a última rodada, apesar do rebaixamento para a Série B, e aposta em empenho do time contra o líder, no Rio

Anelso Paixão – O Estado de S.Paulo

O que levaria um time que não vence fora de casa há seis meses – a última vez foi em 3 de junho, contra o Vasco, em São Januário -, que não ganha em casa há 11 rodadas – desde o dia 25 de setembro, contra o próprio Vasco, pela 25.ª rodada – e que já está rebaixado a vencer o líder do campeonato na última rodada? Quem responde é Leonel Martins de Oliveira, presidente do Guarani, clube que vive esse pesadelo no momento: “Todo jogador de futebol gosta de visibilidade, e quer visibilidade maior do que vencer o líder num jogo em que todos estarão olhando?”

Rebaixado com a derrota para o Grêmio, no domingo, em Campinas, o Guarani é encarado pelos especialistas como presa fácil para o embalado Fluminense, de Muricy Ramalho, a um passo do título. “No futebol tudo é possível. O retrospecto, é claro, é favorável ao Fluminense, mas nossos atletas têm ainda o compromisso de entrar em campo e fazer o melhor possível até o fim do campeonato”, afirma o dirigente, que resolveu manter a comissão técnica – Vágner Mancini tem contrato até o fim do Campeonato Paulista de 2011 – e o elenco. “Alguns contratos de jogadores terminam no fim do ano, mas, até lá, todos seguem conosco e têm o compromisso de honrar a camisa do Guarani.”

A possível mala branca (incentivo para o time vencer o jogo), que seria enviada pelo Corinthians para motivar os atletas do Guarani, não é assunto que o dirigente gosta de comentar. “Isso eu não sei. Se é que ocorrem essas coisas no futebol, deve ser entre os atletas. De minha parte, o que sei é que os jogadores recebem seus salários para entrar em campo e tentar a vitória sempre.”

A questão salarial, aliás, sempre foi apontada com um dos motivos do fracasso do Guarani na reta final da competição, mas o dirigente discorda. “O salário sempre esteve atrasado, mas dentro da normalidade do futebol. Pagamos com 15 ou 20 dias de atraso, mas não é por isso que o time foi rebaixado. Algumas vezes, com os vencimentos em dia, o time perdeu. E, em outras, com atraso, venceu seus jogos.”

Nesta semana, Leonel Martins de Oliveira garante que tudo será acertado. “Mas isso já estava combinado com os atletas. Não há nada de novo. Vamos pagar na data em que tínhamos programado.”

Herança maldita. O presidente bugrino não nega, porém, que a situação do clube é muito difícil e que isso prejudicou na rápida passagem pela Série A do futebol nacional – subiu no ano passado e caiu neste. “A situação do Guarani é difícil, delicada, até mesmo pela herança que recebemos. Pagamos até hoje pelos erros das administrações passadas. E, numa Série A, enfrentamos adversários mais estruturados, com situação financeira superior.”

De acordo com o dirigente, os problemas econômicos influíram na montagem do elenco. “É claro que nosso time tinha algumas deficiências, mas, em determinado momento do campeonato, quando os atletas já estão encaixados nos clubes, fica mais difícil contratar. O mercado se fecha, os valores ficam muito altos.”

Sobre o futuro, o dirigente evita previsões. “No ano passado, com o time na Segunda Divisão paulista, ninguém imaginava que pudéssemos subir na Série B do Brasileiro, mas fomos lá e conseguimos. Isso pode se repetir.” Leonel Martins de Oliveira não fala, porém, sobre a situação do atual elenco. “É claro que o planejamento para a Série A seria um e, para a Série B, será outro, mas vamos lutar como sempre.”

RADIOGRAFIA DE UM REBAIXAMENTO

1
vitória fora de casa tem o Guarani em todo o campeonato, contra o Vasco, em São Januário

6
meses faz que o time não vence fora do Brinco de Ouro – a última vez foi no dia 3 de junho

7
gols marcou Mazola, o artilheiro do time, que não joga contra o Fluminense, porque vai cumprir suspensão automática. A outra baixa é Baiano, autor de 5 gols

8
vitórias teve o Guarani em toda a competição, sete delas atuando em casa

16
derrotas sofreu o time no Nacional, 13 delas fora de casa e três no Brinco de Ouro