ICFUT – Gylmar dos Santos Neves 80 anos.

Fonte: O Estado de São Paulo

O lendário Gylmar dos Santos Neves, a unanimidade, faz 80 anos

Considerado o melhor goleiro da história do futebol brasileiro, foi ídolo no Santos, no Corinthians e na seleção. Ganhou todos os títulos. E o respeito dos torcedores


Arquivo/AE Em ação na Copa de 1962


Nelson Rodrigues dizia que a unanimidade é burra. Pois Gylmar dos Santos Neves é prova de que o brilhante escritor pernambucano estava errado. Jogador do Corinthians (1951 a 1961), do Santos (1962 a 1969) e da seleção brasileira nas Copas de 1958, 1962 e 1966, o maior goleiro da história do futebol brasileiro conquistou todos os títulos em sua carreira e o respeito de todos os torcedores, com sua elegância demonstrada tanto na hora de impedir o gol adversário como no momento de se comportar fora dos gramados. A lenda viva completa hoje 80 anos de idade. Um AVC, em 2000, o deixou com 40% dos movimentos, mas não tirou a alegria de viver, ao lado da mulher Rachel, com quem está há 50 anos e teve os filhos Rogério e Marcelo.

Gylmar nasceu em Santos e começou a carreira no Jabaquara, aos 15 anos. Foi para o Corinthians em 1951, conquistando o Paulista daquele ano. Foi bicampeão no ano seguinte e se transformou no “guardião do quarto centenário”, título estadual de 1954, ano em que também se sagrou campeão do Torneio Rio-São Paulo. Saiu do Parque São Jorge, após goleada diante da Portuguesa por 7 a 3.

Foi para o Santos e se juntou a craques como Zito, Pelé, Pepe, Coutinho, formando um dos maiores times da história do futebol. Ganhou cinco títulos paulistas (1962, 1964, 1965, 1967 e 1968), quatro Taças Brasil (1962 a 1965), três Torneios Rio-São Paulo (1963/1964 e 1966), duas Libertadores e dois Mundiais (1962 e 1963).

Na seleção brasileira foram três Copas do Mundo. Dois títulos: 1958 e 1962. Em 1966, já veterano, aos 35 anos, dividiu o gol com Manga na campanha desastrosa do Brasil, eliminado na primeira fase. No total foram 103 jogos.

Elástico, com ótima colocação e corajoso, Gylmar obteve a admiração até de torcedores rivais. Belo e educado, agradava também ao público feminino, que, na época, não era uma frequência constante nos jogos. Gylmar parou aos 39 anos. Mas a bola jamais vai esquecer o seu maior camisa 1. Em uma das máximas do esporte se diz: “Todo grande time começa com um grande goleiro.” Melhor se atender pelo nome de Gylmar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s