Por Edgar Santista – Jogadores Brasileiros perdem mercado na Europa.

Fonte: O Estado de São Paulo

Brasileiros perdem espaço na europa

País tem ‘apenas’ 139 jogadores nas cinco principais ligas. No ano passado, o número era bem maior: 163

Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA

O Brasil perde espaço no futebol europeu e já tem sua tradicional liderança no fornecimento de craques ameaçada pela Argentina. Nos cinco principias campeonatos europeus – Espanhol, Inglês, Alemão, Italiano e Francês -, que se iniciam neste mês, 139 jogadores brasileiros entrarão em campo nos times de Primeira Divisão. Há um ano, esse número era de 163.

O levantamento foi feito pelo Observatório dos Jogadores Profissionais de Futebol, ligado a três universidades europeias. O estudo revela que os atletas argentinos vêm ganhando espaço e prestígio no futebol europeu e já ameaçam o domínio brasileiro. Kaká, Luís Fabiano, Daniel Alves, Pato e Ronaldinho continuam com status de estrela em seus clubes, mas cartolas e agentes vêm buscando cada vez mais diversificação no fornecimento de novos talentos.

De acordo com o documento publicado ontem, as cinco ligas europeias contam com 120 argentinos. Há apenas um ano, eram apenas 103. Em terceiro lugar com o maior número de jogadores atuando no exterior está a França, que tem 106 atletas nos torneios fora de seu país. Cerca de 2 mil de 53 países africanos ainda estão espalhados pelos mais de 20 campeonatos nacionais da Europa.

Legião estrangeira. Nos últimos dois anos, a média de estrangeiros nas ligas europeias se manteve estável: 42% dos jogadores não são do país de origem dos clubes. A Inglaterra aparece na liderança do ranking dos torneios com maior número de estrangeiros. Quase 60% dos jogadores dos clubes da Primeira Divisão não são ingleses.

O segundo campeonato mais “internacional” é o da Alemanha, com 47% de estrangeiros. Mas essa taxa vem caindo. Em 2008, eram mais de 50%. No sentido contrário vem a Itália, com 42% de estrangeiros, 3% a mais que em 2008. Segundo o levantamento, nunca tantos estrangeiros atuaram na Itália, país que vem tentando recuperar o prestígio de seu torneio nacional.

O clube com maior número de estrangeiros é o Arsenal, com 93%. O Milan de Pato e Ronaldinho Gaúcho vem em segundo, com 92%. O Athletic Bilbao, que tem como política a divulgação da causa basca, foi o único time da Primeira Divisão das cinco ligas europeias que não escalou nenhum estrangeiro.

Aposta na base. Tanto a FIFA quanto a Uefa vêm lutando para reverter a política dos clubes e insistem na formação de jogadores nos próprios times. Mas apenas 21% dos atletas de cada clube hoje vêm das categorias de base, pouco aproveitadas.

O estudo conclui, no entanto, que o jogador que mais pesou no desempenho anual de um clube foi Lionel Messi, formado na categorias de base do Barcelona. Xavi ainda foi eleito o melhor passador, enquanto Busquets ficou com o título de “ladrão” do ano entre todos os torneios europeus. O Barcelona, pelas estatísticas, segue sendo o melhor clube do mundo, seguido pelo Real Madrid e o Chelsea. A Inter de Milão, atual campeã europeia de clubes, aparece apenas na sétima posição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s