ICFUT – Internacional com uma mão na Taça !

Fonte: O Estado de São Paulo

Inter vira e encaminha sua segunda conquista da Copa Libertadores


Chivas Guadalajara marca primeiro, mas Giuliano e Bolívar garantem o 2 a 1, em pleno Omnilife, no México; Time colorado pode até empatar na final do Beira-Rio

ANDRÉ AVELAR – estadão.com.br

SÃO PAULO – O Internacional entendeu que um resultado de Copa Libertadores se faz já no primeiro jogo. Depois da convincente classificação contra o São Paulo, o time repetiu o bom futebol na final desta quarta-feira, 11, e arrancou uma vitória por 2 a 1 do Chivas Guadalajara, no México.

Guillermo Arias/AP

Com gols de Giuliano e Bolívar, o time brasileiro encaminhou sua segunda conquista da competição continental – venceu também em 2006. Pode até empatar na próxima quarta, no Beira-Rio. Baustista ainda manteve viva a esperança mexicana.

Para a decisão no Rio Grande do Sul, a torcida colorada promete fazer uma grande festa. Todos os ingressos (o clube não divulga a quantidade exata) foram vendidos em menos de três horas.

Bola rolando. A grama sintética do belíssimo Omnilife chegou a preocupar os brasileiros. Foi o árbitro Héctor Baldassi apitar o começo do jogo que tudo pareceu resolvido – exceto pelo empolgado locutor do estádio e pela queda de energia elétrica que atrasou a partida em alguns minutos.

O lateral-esquerdo Kleber, um dos mais experientes da equipe, entrou na área por três vezes: em todas levou perigo. Acertou a trave logo de cara e, em seguida, cruzou para Alecsandro chegarem atrasados. Já no fim do primeiro tempo, deixou Taisson na cara do gol.

E a trave estava mesmo do lado do time da casa. Alecsandro cobrou falta da entrada da área e por pouco não abriu o placar. No entanto, foi uma das últimas participações do atacante, que saiu com dores na coxa direita. Éverton entrou no seu lugar.

Nem o apoio da torcida fazia o Chivas se lançar de vez ao ataque. Inferior tecnicamente, apostava na velocidade dos atacantes Arellano e Bravo.

Mas foi Baustista, até então mais preocupado em arrumar a estilosa luva da mão esquerda e provocar D´Alessandro, quem desencantou no último minuto da primeira etapa. Ele recebeu cruzamento, percebeu o goleiro Renan adiantado e, de fora da área mesmo, mandou de cabeça para o fundo do gol.

Com a cabeça. O Inter não se abalou com o gol sofrido. Os comandados de Celso Roth mantiveram o mesmo ritmo da partida e também não se deixaram levar pelo traiçoeiro futebol mexicano.

O time da casa partida tentava tomar conta do jogo até que Giuliano recebeu cruzamento na área e tratou de empatar a partida, aos 27. Não contente, o time ainda queria mais. Quatro minutos depois, linha de passe de novo de cabeça e Bolívar marcou.

A partir daí, a segunda conquista da Libertadores estava encaminhada. O time colorado gastou o tempo com a bola no pé e não deixou o Chivas jogar.

 CHIVAS – 1 – Luis Michel; Magallion, De Luna , Reynoso, Ponce ; Mejía, Fabian (Escalante), Baez (Dávila); Baustista, Arellano (Araujo) e Bravo. Técnico: Jose Luis Real

 INTER – 2 – Renan; Nei, Índio, Bolívar, Kléber; Sandro , Guiñazu, Giuliano, D´Alessandro; Taisson (Wilson Matias) e Alecsandro (Éverton) (Rafael Sóbis). Técnico: Celso Roth

Gols – Bautista, aos 45 do 1.º Tempo. Giuliano, aos 27; Bolívar, aos 31 minutos do 2.º Tempo; Árbitro – Héctor Baldassi (ARG); Local – Omnilife, em Guadalajara, no México

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s