ICFUT – GIRO PELO FUTEBOL

Fonte: Futebol Interior

ICFUT – Classificação e Jogos da Série B -2010

PROGRAMA ICFUT  Ao vivo !

Sábado da 13:00hs as 14:00hs

Links  para jogos ao vivo

https://icfut.wordpress.com/2010/07/23/icfut-links-para-transmissao-dos-jogos-da-serie-a-b/

Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1 Náutico-PE 23 10 7 2 1 19 15 4 76.7
2 Coritiba-PR 21 10 6 3 1 17 12 5 70.0
3 Figueirense-SC 20 10 6 2 2 19 8 11 66.7
4 América-MG 18 10 5 3 2 14 5 9 60.0
5 São Caetano-SP 18 10 5 3 2 20 13 7 60.0
6 Portuguesa-SP 17 10 5 2 3 21 15 6 56.7
7 Guaratinguetá-SP 17 10 4 5 1 18 14 4 56.7
8 Paraná-PR 16 10 5 1 4 15 11 4 53.3
9 Bahia-BA 16 10 5 1 4 17 14 3 53.3
10 Brasiliense-DF 14 10 3 5 2 15 15 0 46.7
11 ASA-AL 13 10 4 1 5 19 18 1 43.3
12 Icasa-CE 13 10 4 1 5 16 15 1 43.3
13 Duque de Caxias-RJ 12 11 4 0 7 12 23 -11 36.4
14 Santo André-SP 12 11 3 3 5 20 22 -2 36.4
15 Sport-PE 11 11 3 2 6 16 17 -1 33.3
16 Ponte Preta-SP 11 10 2 5 3 12 12 0 36.7
17 Bragantino-SP 10 10 1 7 2 8 11 -3 33.3
18 América-RN 8 11 1 5 5 10 21 -11 24.2
19 Ipatinga-MG 5 10 1 2 7 10 21 -11 16.7
20 Vila Nova-GO 4 10 1 1 8 5 21 -16 13.3
10ª RODADA
20/07 – 21h00 Brasiliense-DF 3 x 0 Paraná-PR
20/07 – 21h00 Figueirense-SC 2 x 2 Santo André-SP
23/07 – 21h00 Ponte Preta-SP 1 x 1 Ipatinga-MG
23/07 – 21h00 América-RN 0 x 0 Bragantino-SP
23/07 – 21h00 América-MG 2 x 0 Icasa-CE
24/07 – 16h10 Náutico-PE 3 x 2 Bahia-BA
24/07 – 16h10 Coritiba-PR 2 x 1 Sport-PE
24/07 – 16h10 São Caetano-SP 2 x 0 ASA-AL
24/07 – 16h10 Guaratinguetá-SP 1 x 1 Portuguesa-SP
24/07 – 21h00 Duque de Caxias-RJ 1 x 0 Vila Nova-GO
11ª RODADA
27/07 – 21h00 Santo André-SP 1 x 1 América-RN
27/07 – 21h00 Sport-PE 1 x 2 Duque de Caxias-RJ
30/07 – 21h00 Vila Nova-GO x Coritiba-PR
30/07 – 21h00 Icasa-CE x Guaratinguetá-SP
30/07 – 21h00 Portuguesa-SP x São Caetano-SP
31/07 – 16h10 Paraná-PR x Náutico-PE
31/07 – 16h10 ASA-AL x América-MG
31/07 – 16h10 Bahia-BA x Figueirense-SC
31/07 – 16h10 Bragantino-SP x Ponte Preta-SP
31/07 – 21h00 Ipatinga-MG x Brasiliense-DF

ICFUT – Apresentação Washington no Flu.

Fonte: Site oficial do Fluminense

Voltei para ser campeão brasileiro e assim será’


Um ano e meio depois o “Coração Valente” está de volta ao tricolor. O atacante Washington se apresentou nas Laranjeiras na manhã desta quarta-feira relembrando seu amor ao clube e torcida e prometendo muitas alegrias e títulos para os tricolores. Washington é até hoje o maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro, artilheiro de seu antigo clube – São Paulo – na Copa Libertadores deste ano e vice-artilheiro tricolor na Libertadores de 2008. Um currículo recheado de gols, assim é a carreira de Washington que com a camisa do Fluminense já balançou as redes 37 vezes em 56 partidas, uma média de 0,66 gols por jogo com o manto tricolor.

Washington conversou com a imprensa logo após fazer os exames médicos, cumprimentar seus companheiros e vestir novamente a camisa do Fluzão no centro do gramado das Laranjeiras.

Saída do Flu em 2008

– Sabemos que na vida todos têm escolhas. Deus te dá caminhos para optar e você tem que decidir. Naquela época fiquei com muita vontade de conquistar a Libertadores e vi desta forma. Infelizmente não consegui, esse ano estava próximo, mas essas coisas acontecem. Não sei se foi certo ou errado, mas foi uma experiência. Estou feliz por voltar e sei que me encaixo naquele velho ditado, o bom filho à casa torna. Quero vestir essa camisa para honrá-la. Voltei para ser campeão brasileiro e assim será.

Briga por posição na equipe titular

– Venho com peito aberto para disputar posição. Quem diz que chega só para compor grupo não evolui. Quero lutar pela vaga e ajudar o Flu. Como, ainda não sei, mas quero fazer com que o Fluminense chegue ao título. Quem sabe o Muricy coloque um esquema e jogamos os três.

Força do atual elenco tricolor

– O Muricy a frente e um grupo forte farão o Flu chegar bem nesse campeonato. Conversava com uns amigos meus sobre a força desse grupo. É muito bom esse time do Fluminense. O clube está montando uma equipe para ser campeã. Garçom não faltará neste meio de campo. O Fluminense tem muitos jogadores de qualidade não só no meio, mas em todo time.

Cobranças que poderá sofrer

– Estou pronto para cobrança. Quando saí do Fluminense não falei mal do clube, só disse que estava buscando um outro momento. Na minha época resgatei um orgulho no tricolor. Jogamos partidas maravilhosas. Tenho certeza que a torcida irá me compreender e só farei isso fazendo gols.

Recusa do convite de outros clubes cariocas

– Teve realmente o interesse do Vasco na minha contratação, como o de outros clubes. Escolhi na época ficar no São Paulo. Quando você tem um forte sentimento com um clube isso faz a diferença. Conversei com o Flu e me senti disposto, venho para conquistar os títulos que não consegui em 2008. Me sinto em casa nas Laranjeiras por tudo que já aconteceu. Amei esse clube enquanto estava aqui e sei que vou reconquistar esta torcida.

Trabalho com Muricy

– Estou muito feliz por trabalhar com o Muricy. Foram apenas seis meses, mas aprendi bastante. Quando ele saiu achei que foi na hora errada. Estou tendo esta alegria de poder estar de volta ao convívio dele, pois é um grande profissional e um grande amigo.

Emoção no seu retorno

– Me emocionei nessa volta porque tenho uma história aqui. Tudo que acontece comigo é de balançar o coração.

Gol contra o São Paulo nas quartas de final da Libertadores de 2008

– Aquele gol foi o mais importante da minha carreira. Foi um marco para o Flu e para mim. Sempre ouço falar desse gol e isso me da mais motivação ainda. Sei que isso estará sempre ao meu lado.

Exemplo de superação

– Não só fora de campo, mas em campo sou assim também. Nunca desisto na primeira, não desisti quando me falaram do problema no coração, imagine por perder um gol. Sou muito coração e isso me ajuda muito. Estou aqui para superar mais um problema, saí do Fluminense e estou aqui novamente para dar a volta por cima nas Laranjeiras.

Condição física

– Estava pronto para atuar nesta semifinal de Libertadores (pelo São Paulo contra o Internacional), é estranho para muitos ter saído do time na situação que estava, pois era o artilheiro, mas lá eu já não estava feliz. Parece que você está em um castelo de ouro por fora, mas que por dentro as coisas não são tão belas. O que mais pesou nesse caso foi a vontade de vestir a camisa do Flu.

Estreia contra o Atlético-PR

– – Tomara que eu possa jogar no sábado (contra o Atlético-PR). Se estiver tudo ok quero entrar sim. Estou com vontade de ouvir a música da torcida “Coração valente, guerreiro tricolor, Washington é matador”. Fiz história no Atlético-PR, mas hoje estou no Flu. É uma coincidência muito grande estrear logo contra eles, mas na minha vida essas coisas estão sempre lado a lado.

Diferenças de 2008 para 2010

– Não tem muita diferença de quando saí para agora. Na minha época achava que éramos merecedores desse título e acabou não saindo. Hoje nosso time também é muito forte e podemos chegar a isso. O que mais mudou foi que o Flu hoje é mais experiente e mais maduro para conquistar muitas coisas.

Por José Reis – Clube Grego diz que Gilberto Silva não vem !

Fonte: O Dia Online

Panathinaikos diz ‘não’ ao Fla, segundo rádio grega

Clube, porém, aceita estudar nova proposta do rubro-negro

Rio  – O volante Gilberto Silva pode estar mais distante de vestir a camisa do Flamengo. Nesta quarta-feira, o site da Rádio Nova Sport FM, da Grécia, informou que os dirigentes do Panathinaikos não aceitaram a proposta de troca entre Gilberto Silva e Kleberson feita pelo rubro-negro.

“Chegou uma proposta do Flamengo na terça-feira. Mas as condições não são condizentes com a equipe e a negociação não está sendo estudada”, divulgou o Panathinaikos, segundo a página da Rádio na internet.

O site informa ainda que, caso um clube faça uma nova proposta, ela pode ser avaliada, principalmente se o volante manifestar aos “Verdes” o desejo de voltar ao Brasil.

Gilberto Silva está mais longe do Flamengo, segundo a imprensa grega |

A contratação de Gilberto Silva envolveria várias outras negociações com o Panathinaikos. Além dele, o Fla levaria o apoiador Cleyton, também do clube grego, e quitaria os cerca de R$ 800 mil pela compra de 60% dos direitos do zagueiro David. Em contrapartida, os brasileiros cederiam, além de Kleberson, parte dos direitos de Camacho e Jorbison.

Nesta terça-feira de manhã, durante o treino do time, no Ninho do Urubu, Zico, diretor executivo de futebol do clube, disse que a negociação envolve diversas partes e que preferia conversar com cada uma delas antes de dar uma posição oficial. O Galinho falou ainda que pretende falar com Kleberson ainda nesta terça.

Por Cleber Aguiar – O Espião Rubronegro na Fortaleza Santista!

Atendendo a pedidos PROGRAMA ICFUT muda de horário!!!

Sábado da 13:00hs as 14:00hs

Links  para jogos ao vivo

https://icfut.wordpress.com/2010/07/23/icfut-links-para-transmissao-dos-jogos-da-serie-a-b/

Cleber Aguiar santista da equipe ICFUT

Enquanto isso antes do jogo em Santos…

Espião 12- Atenção Toca do Leão , estou chegando a cidade do inimigo.

Diz Toca –  Positivo alguma informação até o presente momento ,

Espião 12 – Positivo  estou passando em frente o CT Meninos da Vila tudo aqui é lindo e fantástico.

Momentos depois… Espião 12 – Estou na casa do inimigo vou entra e descobrir o segredo de tanta grandeza.

Toca do Leão – Positivo aguardo posição.

Espião 12 – Acabei de passar em frente a estátua do Rei Pelé …espere silêncio , Toca diz – O que acontece , porque o silêncio , Espião 12 – Estava reverenciando o Rei ,Toca Diz – Você está de brincadeira caramba , foco na missão.

Espião 12 – Sim..sim..desculpa  positivo …!!! Estou agora nas arquibancas ela é protegida por diversos soldados e comandos !!!

Toca diz – Positivo relate tais comandos …  Diz Espião 12 – O comando de frente é a Famosa TORCIDA JOVEM que acompanha o clube pelo mundo inteiro ,outros comando são  SANGUE SANTISTA e FORÇA JOVEM que são o terror da baixada…copiou base ?

Toca diz – Positivo mas alguma coisa ? Espião 12 – Sim o estádio é uma panela de pressão com uma estrutura de 1º mundo jamais vista em nossas terras Toca do Leão.

Diz Toca – O que mais ? Espião 12 – Sim diversas placas mais de 10 mil gols entre outras ,passei também por camarotes,centro de imprensa e salão de mámore e agora estou no coração dessa fortaleza o Memorial das conquistas.

Diz Toca – Positivo continue o relato estamos muito próximo de descobrir o segredo e nos tornarem campeões do Brasil.hahahaha continue 12.

Diz Espião 12 – Tantas conquistas mundiais ,libertadores,torneios internacionais,flâmulas de diversos clubes do mundo …opa!!! base  acho que encontrei , alguma coisa brilha no final desse salão nossa uma camisa branca número 10 a mesma do Rei Pelé ,G10vanni e PH Ganso,nossa… é linda parece a armadura dos deuses ,  faz me sentir emocionado e felizz….

Diz Toca – Espião , responde , fala o segredo, Espião responde …Espião….Diz Espião 12 – Estou aqui com todo respeito General , não posso revelar o segredo pois agora também sou mais um integrante dessa nação alvinegra e o segredo está dentro de cada torcedor que rir e chora por esse fenômeno que é o Santos Futebol Clube…Toca mande um beijo para Mainha que dessa terra eu não saiu mais adeus !!!!

Diz Toca do Leão – Não acredito de novo … mande preparar  o 13º que mais um  não volta para Salvador que coisa …missão abortada novamente DROGAAAAAAAAAAA!!!!

Nascer , viver e no Santos morrer !!!

Vai pra cima deles Santos !!!!

Por W. Santista – Novo estatuto do torcedor complica uniformizadas.

Fonte: Ministério da Justiça

Sancionada lei que criminaliza violência em estádios


A partir dessa terça-feira (27), o Estatuto do Torcedor está mais rigoroso. A mudança de alguns artigos, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, vai adequar a lei brasileira às normas internacionais, com vistas à Copa de 2014. Agora, o torcedor que invadir o campo ou provocar tumulto em um raio de cinco quilômetros do palco do jogo poderá pagar multa ou pode ser preso por até dois anos.

“Essa mudança aproxima o Brasil das boas práticas internacionais e pune com mais efetividade”, disse o secretário de Assuntos Legislativos do ministério da Justiça, Felipe de Paula, sobre a conversão de pena, que faz com que o infrator seja apenado com vedações em dias de jogos ou nos horários de jogos de seus times.

O secretário destaca que as medidas são importantes para garantir que o espetáculo esportivo continue a ser um espaço lúdico, democrático, longe da violência ou da criminalidade.

A lei ainda exige o cadastramento das torcidas organizadas. As facções deverão manter o registro atualizado de seus membros, com nome completo, fotografia, filiação, registro civil, CPF, data de nascimento, estado civil, profissão, endereço completo e escolaridade. A torcida organizada que tiver um de seus integrantes envolvidos em ato de violência dentro, ao redor ou no trajeto de ida e volta do estádio, responderá civilmente pelos danos causados.

Já a facção que promover tumulto antes, durante ou após a realização de jogos ficará impedida de entrar nos estádios do país por três anos.

Para o ministro do Esporte, Orlando Silva, as mudanças, que foram realizadas em conjunto com o Ministério da Justiça, são extremamente necessárias. “Com a criação de alguns tipos penais, o espetáculo fica mais seguro. Estamos preparando o Brasil para a Copa (de 2014), além de criar outro ambiente nos estádios, que também é lugar de família, crianças”, defendeu.

Ele citou os esforços que vêm sendo feitos pelo Ministério da Justiça sobre o tema. “O MJ está criando um procedimento padrão para as polícias de todo o país que atuam nos estádios de futebol. Está incentivando o uso de arma não-letal, instruindo os policiais a como agir perante a multidão”, afirmou. O Ministério da Justiça, inclusive, está coordenando encontro esta semana sobre ações de inteligência policial voltadas para a Copa de 2014. Policiais civis, militares e bombeiros das 12 cidades-sede do torneio ficarão reunidos em Brasília até sexta-feira (30) para debater o assunto.

Orlando Silva exemplificou as mudanças sancionadas pelo presidente Lula. “Antes, se a polícia apreendia uma bomba caseira no ônibus de uma torcida organizada, recolhia a bomba e liberava os torcedores. Agora, o torcedor será impedido de entrar no estádio e poderá responder criminalmente”, avisou.

As alterações no estatuto prevêem ainda multa e pena de seis anos de prisão para juízes que manipularem resultado de jogos, multa e pena de um a dois anos para os cambistas e multa e pena de até quatro anos para quem facilitar a atuação dos cambistas.

Amparo ao preso

Ainda nesta terça, também pensando na Copa, foi assinado convênio entre o Governo do Distrito Federal e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para a contratação de detentos que, cumpridos os requisitos previstos em lei, irão trabalhar, em Brasília, em eventos e ações da Copa de 2014. O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, que coordena trabalho semelhante em nível nacional, prestigiou a cerimônia.

Integra do texto

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 12.299, DE 27 DE JULHO DE 2010.

Dispõe sobre medidas de prevenção e repressão aos fenômenos de violência por ocasião de competições esportivas; altera a Lei no 10.671, de 15 de maio de 2003; e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o É dever de toda pessoa física ou jurídica colaborar na prevenção aos atos ilícitos e de violência praticados por ocasião de competições esportivas, especialmente os atos de violência entre torcedores e torcidas.

Art. 2o Todos os estádios de futebol e ginásios de esporte onde ocorram competições esportivas oficiais não poderão vender mais ingressos do que o número máximo de capacidade de público existente no local.

Art. 3o Os arts. 5o, 6o, 9o, 12, 17, 18, 22, 23, 25, 27 e 35 da Lei no 10.671, de 15 de maio de 2003, passam a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 5o ………………………………………………………………

§ 1o As entidades de que trata o caput farão publicar na internet, em sítio da entidade responsável pela organização do evento:

I – a íntegra do regulamento da competição;

II – as tabelas da competição, contendo as partidas que serão realizadas, com especificação de sua data, local e horário;

III – o nome e as formas de contato do Ouvidor da Competição de que trata o art. 6o;

IV – os borderôs completos das partidas;

V – a escalação dos árbitros imediatamente após sua definição; e

VI – a relação dos nomes dos torcedores impedidos de comparecer ao local do evento desportivo.

§ 2o Os dados contidos nos itens V e VI também deverão ser afixados ostensivamente em local visível, em caracteres facilmente legíveis, do lado externo de todas as entradas do local onde se realiza o evento esportivo.

§ 3o O juiz deve comunicar às entidades de que trata o caput decisão judicial ou aceitação de proposta de transação penal ou suspensão do processo que implique o impedimento do torcedor de frequentar estádios desportivos.” (NR)

“Art. 6o ……………………………………………………………….

…………………………………………………………………………………

§ 4o O sítio da internet em que forem publicadas as informações de que trata o § 1o do art. 5o conterá, também, as manifestações e propostas do Ouvidor da Competição.

………………………………………………………………………..” (NR)

“Art. 9o É direito do torcedor que o regulamento, as tabelas da competição e o nome do Ouvidor da Competição sejam divulgados até 60 (sessenta) dias antes de seu início, na forma do § 1o do art. 5o.

…………………………………………………………………………………

§ 4o O regulamento definitivo da competição será divulgado, na forma do § 1o do art. 5o, 45 (quarenta e cinco) dias antes de seu início.

…………………………………………………………………………” (NR)

“Art. 12. A entidade responsável pela organização da competição dará publicidade à súmula e aos relatórios da partida no sítio de que trata o § 1o do art. 5o até as 14 (quatorze) horas do 3o (terceiro) dia útil subsequente ao da realização da partida.” (NR)

“Art. 17.  ……………………………………………………………..

§ 1o Os planos de ação de que trata o caput serão elaborados pela entidade responsável pela organização da competição, com a participação das entidades de prática desportiva que a disputarão e dos órgãos responsáveis pela segurança pública, transporte e demais contingências que possam ocorrer, das localidades em que se realizarão as partidas da competição.

………………………………………………………………………..” (NR)

“Art. 18. Os estádios com capacidade superior a 10.000 (dez mil) pessoas deverão manter central técnica de informações, com infraestrutura suficiente para viabilizar o monitoramento por imagem do público presente.” (NR)

“Art. 22.  ………………………………………………………………

…………………………………………………………………………………

§ 2o A emissão de ingressos e o acesso ao estádio nas primeira e segunda divisões da principal competição nacional e nas partidas finais das competições eliminatórias de âmbito nacional deverão ser realizados por meio de sistema eletrônico que viabilize a fiscalização e o controle da quantidade de público e do movimento financeiro da partida.

§ 3o O disposto no § 2o não se aplica aos eventos esportivos realizados em estádios com capacidade inferior a 10.000 (dez mil) pessoas.” (NR)

“Art. 23.  ………………………………………………..…………..

…………………………………………………………………………………

§ 2o ……………………………………………………………………..

…………………………………………………………………………………

III – tenham sido disponibilizados portões de acesso ao estádio em número inferior ao recomendado pela autoridade pública.” (NR)

“Art. 25. O controle e a fiscalização do acesso do público ao estádio com capacidade para mais de 10.000 (dez mil) pessoas deverão contar com meio de monitoramento por imagem das catracas, sem prejuízo do disposto no art. 18 desta Lei.” (NR)

“Art. 27.  ……………………………………………………………..

Parágrafo único. O cumprimento do disposto neste artigo fica dispensado na hipótese de evento esportivo realizado em estádio com capacidade inferior a 10.000 (dez mil) pessoas.” (NR)

“Art. 35.  ………………………………………………………………

…………………………………………………………………………………

§ 2o As decisões de que trata o caput serão disponibilizadas no sítio de que trata o § 1o do art. 5o.” (NR)

Art. 4o A Lei no 10.671, de 15 de maio de 2003, passa a vigorar acrescida dos seguintes arts. 1o-A, 2o-A, 13-A, 31-A, 39-A, 39-B e 41-A, e do Capítulo XI-A, com os arts. 41-B, 41-C, 41-D, 41-E, 41-F e 41-G:

“Art. 1o-A. A prevenção da violência nos esportes é de responsabilidade do poder público, das confederações, federações, ligas, clubes, associações ou entidades esportivas, entidades recreativas e associações de torcedores, inclusive de seus respectivos dirigentes, bem como daqueles que, de qualquer forma, promovem, organizam, coordenam ou participam dos eventos esportivos.”

“Art. 2o-A. Considera-se torcida organizada, para os efeitos desta Lei, a pessoa jurídica de direito privado ou existente de fato, que se organize para o fim de torcer e apoiar entidade de prática esportiva de qualquer natureza ou modalidade.

Parágrafo único.  A torcida organizada deverá manter cadastro atualizado de seus associados ou membros, o qual deverá conter, pelo menos, as seguintes informações:

I – nome completo;

II – fotografia;

III – filiação;

IV – número do registro civil;

V – número do CPF;

VI – data de nascimento;

VII – estado civil;

VIII – profissão;

IX – endereço completo; e

X – escolaridade.”

“Art. 13-A. São condições de acesso e permanência do torcedor no recinto esportivo, sem prejuízo de outras condições previstas em lei:

I – estar na posse de ingresso válido;

II – não portar objetos, bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência;

III – consentir com a revista pessoal de prevenção e segurança;

IV – não portar ou ostentar cartazes, bandeiras, símbolos ou outros sinais com mensagens ofensivas, inclusive de caráter racista ou xenófobo;

V – não entoar cânticos discriminatórios, racistas ou xenófobos;

VI – não arremessar objetos, de qualquer natureza, no interior do recinto esportivo;

VII – não portar ou utilizar fogos de artifício ou quaisquer outros engenhos pirotécnicos ou produtores de efeitos análogos;

VIII – não incitar e não praticar atos de violência no estádio, qualquer que seja a sua natureza; e

IX – não invadir e não incitar a invasão, de qualquer forma, da área restrita aos competidores.

Parágrafo único.  O não cumprimento das condições estabelecidas neste artigo implicará a impossibilidade de ingresso do torcedor ao recinto esportivo, ou, se for o caso, o seu afastamento imediato do recinto, sem prejuízo de outras sanções administrativas, civis ou penais eventualmente cabíveis.”

“Art. 31-A. É dever das entidades de administração do desporto contratar seguro de vida e acidentes pessoais, tendo como beneficiária a equipe de arbitragem, quando exclusivamente no exercício dessa atividade.”

“Art. 39-A.  A torcida organizada que, em evento esportivo, promover tumulto; praticar ou incitar a violência; ou invadir local restrito aos competidores, árbitros, fiscais, dirigentes, organizadores ou jornalistas será impedida, assim como seus associados ou membros, de comparecer a eventos esportivos pelo prazo de até 3 (três) anos.”

“Art. 39-B. A torcida organizada responde civilmente, de forma objetiva e solidária, pelos danos causados por qualquer dos seus associados ou membros no local do evento esportivo, em suas imediações ou no trajeto de ida e volta para o evento.”

“Art. 41-A. Os juizados do torcedor, órgãos da Justiça Ordinária com competência cível e criminal, poderão ser criados pelos Estados e pelo Distrito Federal para o processo, o julgamento e a execução das causas decorrentes das atividades reguladas nesta Lei.”

“CAPÍTULO XI-A

DOS CRIMES

‘Art. 41-B.  Promover tumulto, praticar ou incitar a violência, ou invadir local restrito aos competidores em eventos esportivos:

Pena – reclusão de 1 (um) a 2 (dois) anos e multa.

§ 1o Incorrerá nas mesmas penas o torcedor que:

I – promover tumulto, praticar ou incitar a violência num raio de 5.000 (cinco mil) metros ao redor do local de realização do evento esportivo, ou durante o trajeto de ida e volta do local da realização do evento;

II – portar, deter ou transportar, no interior do estádio, em suas imediações ou no seu trajeto, em dia de realização de evento esportivo, quaisquer instrumentos que possam servir para a prática de violência.

§ 2o Na sentença penal condenatória, o juiz deverá converter a pena de reclusão em pena impeditiva de comparecimento às proximidades do estádio, bem como a qualquer local em que se realize evento esportivo, pelo prazo de 3 (três) meses a 3 (três) anos, de acordo com a gravidade da conduta, na hipótese de o agente ser primário, ter bons antecedentes e não ter sido punido anteriormente pela prática de condutas previstas neste artigo.

§ 3o A pena impeditiva de comparecimento às proximidades do estádio, bem como a qualquer local em que se realize evento esportivo, converter-se-á em privativa de liberdade quando ocorrer o descumprimento injustificado da restrição imposta.

§ 4o Na conversão de pena prevista no § 2o, a sentença deverá determinar, ainda, a obrigatoriedade suplementar de o agente permanecer em estabelecimento indicado pelo juiz, no período compreendido entre as 2 (duas) horas antecedentes e as 2 (duas) horas posteriores à realização de partidas de entidade de prática desportiva ou de competição determinada.

§ 5o Na hipótese de o representante do Ministério Público propor aplicação da pena restritiva de direito prevista no art. 76 da Lei no 9.099, de 26 de setembro de 1995, o juiz aplicará a sanção prevista no § 2o.’

‘Art. 41-C. Solicitar ou aceitar, para si ou para outrem, vantagem ou promessa de vantagem patrimonial ou não patrimonial para qualquer ato ou omissão destinado a alterar ou falsear o resultado de competição esportiva:

Pena – reclusão de 2 (dois) a 6 (seis) anos e multa.’

‘Art. 41-D. Dar ou prometer vantagem patrimonial ou não patrimonial com o fim de alterar ou falsear o resultado de uma competição desportiva:

Pena – reclusão de 2 (dois) a 6 (seis) anos e multa.’

‘Art. 41-E.  Fraudar, por qualquer meio, ou contribuir para que se fraude, de qualquer forma, o resultado de competição esportiva:

Pena – reclusão de 2 (dois) a 6 (seis) anos e multa.’

‘Art. 41-F. Vender ingressos de evento esportivo, por preço superior ao estampado no bilhete:

Pena – reclusão de 1 (um) a 2 (dois) anos e multa.’

‘Art. 41-G. Fornecer, desviar ou facilitar a distribuição de ingressos para venda por preço superior ao estampado no bilhete:

Pena – reclusão de 2 (dois) a 4 (quatro) anos e multa.

Parágrafo único.  A pena será aumentada de 1/3 (um terço) até a metade se o agente for servidor público, dirigente ou funcionário de entidade de prática desportiva, entidade responsável pela organização da competição, empresa contratada para o processo de emissão, distribuição e venda de ingressos ou torcida organizada e se utilizar desta condição para os fins previstos neste artigo.’”

Art. 5o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 6o Revogam-se o § 2o do art. 14 e o art. 39 da Lei no 10.671, de 15 de maio de 2003.

Brasília, 27 de julho de 2010; 189o da Independência e 122o da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Luiz Paulo Teles Ferreira Barreto
Orlando Silva de Jesus Junior

ICFUT – Raio – X de Santos x Vitória

Fonte: O Estado de São Paulo

Hora de desencantar

Ataque santista, base da seleção, anda em baixa, mas hoje é esperança no primeiro jogo da final contra o Vitória

Fábio Hecico, Sanches Filho – O Estado de S.Paulo

SANTOS
Quatro jogos, 24 gols, média de seis por partida. O ataque do Santos é arrasador atuando na Vila Belmiro na Copa do Brasil. Hoje, o setor terá de desencantar pós-Copa do Mundo e comprovar seu poder de definição, às 21h50, diante do Vitória, no jogo de ida da decisão da competição. Ganhar, de preferência com boa vantagem, é primordial para a equipe jogar tranquila em Salvador na semana que vem. Em seus domínios, os baianos têm campanha semelhante à dos Meninos da Vila, apenas com vitórias e por boa margem de gols.

“Temos de partir para cima, tentar fazer muitos gols, pois será muito difícil o jogo de Salvador”, afirmou o meia Paulo Henrique Ganso, que deve ter, à sua frente, os outros companheiros convocados por Mano Menezes para defender a seleção brasileira nos Estados Unidos, dia 10: André, Neymar e Robinho.

Momento ruim. Nos pés do “quarteto santástico” está a esperança da torcida em busca de uma das poucas taças que o Santos ainda não tem na sua galeria de títulos. Os Meninos da Vila, contudo, têm de reencontrar o caminho dos gols. Depois de um primeiro semestre perfeito, a garotada ficou visada pelos marcadores e caiu de rendimento.

Robinho e Ganso, por exemplo, não marcam há nove jogos. O jejum de Neymar dura 7 partidas e o de André, 4. “Mas se repetirmos o bom desempenho dos confrontos contra Fluminense (derrota por 1 a 0) e São Paulo (triunfo, no domingo, por 1 a 0), tenho certeza que os garotos voltarão a marcar”, esbanjou confiança o técnico Dorival Júnior.

E motivação não falta aos meninos. Na verdade, até aumentou após a convocação. “A gente ganhou o clássico e vamos com confiança para a final. O Vitória também vem embalado, mas esperamos fazer um grande resultado aqui, já que vai ser bem difícil lá”, observou André, ainda na expectativa de saber se começa o jogo. “Espero que sim, mas o professor (Dorival) ainda não definiu. “Só sei que ganhamos um incentivo extra com a convocação e que quero sair daqui campeão”, seguiu, já em tom de despedida. Após os jogos finais, ele se apresenta ao Dínamo de Kiev.

“Vamos partir para cima do Vitória sem dó”, enfatizou Neymar, artilheiro da Copa do Brasil com 10 gols e o coreógrafo do grupo, prevendo a volta das dancinhas irreverentes que marcaram as comemorações dos gols santistas – já são 129 no ano.

Robinho endossa as palavras do companheiro. “Sabemos das dificuldades do confronto, mas temos de fazer valer o mando de casa”, disse, aprovando a convocação dos amigos e apostando em bom desempenho com a camisa amarela. “É só chegar na seleção e fazer o mesmo daqui. E jogar bem eles sabem.”

Palavra de craque. Divertidos, polêmicos, provocativos, craques. São muitos os adjetivos para os garotos. E um deles se encaixa perfeitamente na resposta encontrada por eles para definir a possível queda de rendimento. “É que estávamos bastante concentrados para a decisão da Copa do Brasil”, saiu-se bem o meia Paulo Henrique.

“A gente não vinha jogando tão mal, era apenas azar”, encontrou outra saída André, usando grandes defesas de goleiros rivais e muitos gols perdidos para provar que o Santos segue criando bastante. “Sempre estivemos entre os primeiros, apenas os resultados foram ruins. Vocês vão ver, na quarta-feira (hoje) o Santos entrará bem diferente”, prometeu Neymar. A torcida, mais do que nunca, espera que ele esteja certo.

O menino da Vila menos badalado promete fechar o gol

Rafael lembra dos seis meses de tratamento de grave lesão e diz estar pronto para não ser superado hoje na decisão

SANTOS
Brilhar na frente não é o bastante esta noite para o Santos. O grupo todo sabe da importância em não levar gols em casa, que tem peso dobrado na competição. Eis, então, que surge um outro menino da Vila com tal missão: o goleiro Rafael. Ainda não badalado como os demais companheiros, o jovem de 20 anos promete “fechar o gol” esta noite. “Vamos vencer, e bem. E estou preparado para não tomar gols. Não sofrendo atrás, dou garantia ao time para marcar lá na frente.”

Estar na decisão, ou mesmo jogando, não passava pela cabeça deste garoto há um ano. Fábio Costa, queridinho do ex-presidente Marcelo Teixeira, era dono absoluto da camisa 1. Tinha tanto prestígio que seu contrato havia sido renovado até 2013, para ele ser o goleiro no ano do centenário santista (em 2012). Para piorar, uma fratura na perna em choque com o zagueiro Domingos ameaçou a carreira. “Foi muito complicado. Passava muita coisa na cabeça”, se recorda da lenta recuperação de mais de seis meses. No grupo profissional e com um jogo realizado, Rafael almejava se efetivar na condição de reserva para logo ganhar a chance. Durante o tratamento, viu 2009 chegar ao fim.

A mudança radical na vida deste jovem de Sorocaba começou há oito jogos. Felipe foi mal na derrota por 4 a 2 para o Corinthians e perdeu a vaga. Rafael entrou e se firmou. “Você nunca pode desistir do sonho. Há um ano eu nem imaginava estar jogando, mas sempre trabalhei forte, pois quando a vaga cai no seu colo, você precisa estar preparado. E eu estava”, diz, seguro nas palavras.

Hoje, ele terá um motivo a mais para brilhar. Nas arquibancadas estarão o pai, Sergio, e o irmão Daniel, seus grandes inspiradores após a morte da mãe. “Aumenta a responsabilidade. Mas não vou deixar a chance de ouro da minha vida escapar. Faremos um grande jogo.” Num grupo com jogadores que têm sonhos grandes, como jogar na Europa ou numa Copa, ele é modesto. “Quero apenas entrar para a história do Santos. E ganhando um dos títulos que falta ao clube, meu nome estará escrito.”

No vestiário, com armários personalizados com a foto e nome de cada jogador, já é possível ver sua imagem. O nome ainda não. Mas de caneta, nota-se que Rafael já deixou de ser promessa. “Parabéns, apesar da sua idade, provou que chegou para ficar. Espero que cresça no futebol”, é o recado. Uma inspiração e tanto. / F.H. e S.F.

Dorival: ‘Nada será decidido em Santos’

Técnico diz que time não pode sair como louco e ressalta os pontos fortes do rival: ‘Muito rápido e habilidoso, como a gente’

SANTOS
Dorival Júnior não quer saber de favoritismo para o Santos. Muito menos falar que o time pode decidir o título hoje, na Vila Belmiro. Maduro, o treinador prega pela humildade, descarta goleada, pede atenção à defesa e alerta o time ao explicar a força do Vitória. “Nada será decidido na Vila Belmiro. E serão dois jogos bastantes dificílimos e equilibrados”, disse. “Seria importante não sofrermos gols aqui e nem se desesperar para fazê-los.”

Em sua primeira decisão nacional, o comandante santista não quer desperdiçar a chance de levar o Santos à Libertadores por excesso de confiança. “O Vitória é uma equipe muito rápida e tem a bola parada que decide muitos jogos”, enfatiza. O meia Ramón é exímio cobrador de faltas, por isso, os zagueiros Bruno Aguiar e Durval estão orientados a evitar cometê-las próximo da área. “O Elkesson é um grande jogador, que faz a diferença na frente. Eles são habilidosos e se assemelham ao Santos”, compara.

Com a escalação dos baianos na mão, Dorival estuda a melhor equipe para hoje. E apela ao tradicional mistério. A convocação para a seleção não garante André no campo. Pelo menos nas palavras do técnico, que o coloca na concorrência com Marcel e Marquinhos, titulares no clássico. “Quem sou eu para pedir para ser escalado? Para qualquer jogador é normal ficar no banco. Até Romário já ficou”, fala André.

“O time ainda não voltou a sua normalidade porque o assédio (de clubes da Europa sobre os jogadores) é grande. Não conseguimos encobrir tudo o que está acontecendo apenas com um resultado. O que aconteceu domingo foi pouco para restabelecer a ordem das coisas.” / F.H. e S.F.

Vitória espera fazer história na final da Copa do Brasil

Equipe baiana começa busca por primeiro título nacional diante do Santos, às 21h50, na Vila Belmiro


AE – Agência Estado

O Vitória enfrenta o Santos nesta quarta-feira, a partir das 21h50, na Vila Belmiro, com o intuito de fazer história. Com 111 anos, o clube baiano nunca conquistou um título nacional, tendo sido derrotado em várias finais – na Série A, Série B e Série C do Brasileiro. Agora, em sua 20ª participação na Copa do Brasil, tem a chance de superar o estigma de vice e, enfim, ser campeão.

Veja também:
link
Santos conta com força do ataque para abrir vantagem

Assim como o Santos, o Vitória tem se destacado na Copa do Brasil pela qualidade ofensiva. Fez 24 gols em 10 jogos, com direito a goleadas acachapantes no Corinthians-AL, Náutico, Goiás e Atlético-GO. Além disso, o time baiano já mostrou uma defesa segura na competição – são nove gols sofridos -, o que será fundamental para encarar a decisão na Vila Belmiro.

Independente da boa campanha na Copa do Brasil, o time baiano sabe que precisa tomar cuidado na Vila Belmiro. A ordem no Vitória é conseguir um bom resultado nesta quarta-feira, para poder decidir com tranquilidade na partida de volta, marcada para semana que vem, no Estádio Barradão, em Salvador.

“Temos que manter nosso ritmo, a atenção em todos os setores e jogar de igual para igual, buscando a vitória”, avisou o atacante Júnior. “Está tudo pronto. Treinamos bem e agora é manter a calma e contar as horas para o jogo”, declarou o meia Elkeson, sem esconder a ansiedade do grupo do Vitória para encarar a esperada decisão da Copa do Brasil.