ICFUT – Argentina 1×0 Nigéria – Copa 2010

Atendendo a pedidos PROGRAMA ICFUT muda de horário!!!

Sábado da 13:00hs as 14:00hs

Ficha técnica: Argentina 1 x 0 Nigéria

Johanesburgo – África do Sul

FICHA TÉCNICA
ARGENTINA 1 X 0 NIGÉRIA

Local: Estádio Ellis Park, em Johanesburgo (África do Sul)
Data:
12 de junho de 2010, sábado
Horário:
11 horas (de Brasília)
Árbitro:
Wolfgang Stark (Alemanha)
Assistentes:
Jan Salver e Mike Pickel (ambos da Alemanha)
Cartões amarelos:
Jonás Gutiérrez (Argentina); Haruna (Nigéria)
Gol:
ARGENTINA: Heinze, aos 6 minutos do primeiro tempo

ARGENTINA: Romero; Demichelis, Samuel e Heinze; Mascherano, Verón (Maxi Rodríguez), Jonás Gutiérrez e Di María (Burdisso); Messi, Higuaín (Milito) e Tevez
Técnico:
Diego Armando Maradona

NIGÉRIA: Enyeama; Odiah, Shittu, Yobo e Taiwo (Kalu Uche); Kaita, Etuhu, Obasi (Odemwingie) e Haruna; Yakubu e Obinna (Oba Oba Martins)
Técnico:
Lars Largerback

Por Rogerinho – Coreia do Sul bate o tambor, domina os gregos e vence sem sustos: 2 a 0

Com boa atuação de Park Ji-Sung, do Manchester, seleção asiática estica o jejum grego em Copas e arranca a primeira vitória no Mundial da África do Sul

Nas arquibancadas, a batalha foi indigesta. Os torcedores da Coreia do Sul levaram seus tambores para o estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, mas não conseguiram abafar as barulhentas vuvuzelas dos sul-africanos. Dentro do campo, a missão foi bem mais fácil. A seleção asiática dominou uma apática Grécia neste sábado e venceu com tranquilidade por 2 a 0. Após os dois empates da véspera, coube aos sul-coreanos arrancar a primeira vitória na Copa do Mundo.

Ainda não foi desta vez que a Grécia fez um gol em Mundiais. Jogando um futebol burocrático, a equipe do técnico Otto Rehhagel até conseguiu mostrar alguns lampejos no segundo tempo, mas manteve a tradição e chegou à quarta derrota em quatro jogos – as outras três foram em 1994. Como se não bastasse a crise econômica no país, os gregos ainda foram obrigados a ver uma estreia amarga no futebol.

Park Ji-Sung comemoração Coreia do SulPark Ji-Sung comemora o seu gol, o segundo da Coreia do Sul na partida

A Coreia do Sul passa a ser a primeira seleção asiática a bater uma europeia fora de casa em Copas. O jogo que deveria ser a primeira “pelada” do Mundial da África do Sul acabou sendo um jogo movimentado, que deixou os torcedores satisfeitos no estádio – menos os gregos, claro.

O sol em Porto Elizabeth não chegou a castigar os jogadores, que entraram em campo sob temperatura amena no início da tarde de sábado. O técnico da Grécia, Otto Rehhagel, surpreendeu ao deixar no banco Krygiacos, bom no jogo aéreo. Salpingidis também começou na reserva, dando lugar a Samaras no esquema 4-3-3.

O sul-coreano Huh Jung Moo armou seu time no 4-3-2-1. Park Chu-Young era o único na frente, mas nem por isso ficou isolado. Foi a Coreia a protagonista das principais tramas ofensivas do primeiro tempo.

O primeiro susto, contudo, quem deu foi a Grécia, logo aos três minutos. Torosidis perdeu ótima chance ao receber o cruzamento na entrada da pequena área e chutar para fora.

Aos sete, os tambores falaram mais alto quando o lateral Young-Pyo cobrou falta na ponta esquerda, perto da bandeirinha de escanteio. O goleiro não saiu, e a bola passou por cima toda a defesa grega para encontrar Li Jung-Soo livre. Na pequena área, de frente para o gol, ele só escorou para o fundo da rede.

O foco migrou para o árbitro neozelandês Michael Hester aos 15, quando ele ignorou um pênalti de Torosidis no meia Chung-Young – não confundir com o atacante Chu-Young. Ele fez bela jogada pela direita e, dentro da área, foi deslocado pelo joelho do rival. Os telões do estádio não faziam cerimônia e mostravam replays de lances, inclusive os mais polêmicos.

Diante de uma Grécia apática, a Coreia criou as melhores chances do primeiro tempo, mas nem assim evitou vexames como o de Chu-Young. Aos 22, o atacante recebeu livre dentro da área e concluiu com um chute constrangedor de tão torto.

Aos 27, Park Ji-Sung teve seu primeiro momento de brilho. O atacante do Manchester United enfiou um lançamento preciso para Chu-Young, que entrou nas costas da zaga, mas demorou demais para concluir. O zagueiro Vyntra atrapalhou o chute, que acabou desviado pelo goleiro Tzorvas com o pé esquerdo.

No intervalo, Otto Rehhagel mostrou que não estava satisfeito com seu capitão. Karagounis deu lugar a Patsa. Salpingidis também entrou, no lugar de Samaras, na tentativa de criar alguma chance para uma seleção que só tinha chutado a gol uma vez no primeiro tempo.

Otto só não podia prever que seu zagueiro entregaria o ouro logo aos seis minutos da segunda etapa. Vyntra errou um domínio de bola no meio campo e perdeu a bola para Park Ji-Sung. O astro coreano partiu em direção à área e, com tranquilidade, bateu cruzado na saída de Tzorvas. Coreia 2 a 0.

Salpingidis apareceu bem pela primeira vez aos 25, quando ganhou na força pelo lado esquerdo e rolou para a conclusão de Kapetanos, que tinha substituído Charisteas. A Jabulani saiu por cima do gol de Jung Sung Ryong, e os torcedores levaram as mãos às cabeças nas arquibancadas.

As substituições de Rehhagel surtiram efeito, e o futebol da Grécia melhorou. Aos 35, Gekas matou a bola dentro da área e, de virada, obrigou Sung-Ryong a fazer grande defesa de mão trocada, mandando a escanteio. A resposta foi imediata, com belo chute de Chu-Young, que Tzorvas se esticou para espalmar pela linha de fundo. Aos 40, o goleiro grego apareceu mais uma vez, salvando em chute rasteiro de Chung-Yong.

O esforço grego no segundo tempo se mostrou inútil. Àquela altura, já era tarde para evitar mais uma derrota. A Coreia chegou a ensaiar um olé e, sem sustos, estreou com o pé direito na Copa.

COREIA DO SUL 2 x 0 GRÉCIA
Jung Sung Ryong; Lee Young-Pyo, Cho Yong-Hyung, Lee Jung-Soo e Cha Du-Ri; Ki King-Woo, Ki Sung-Yueng (Namil), Lee Chung-Yong (Jae-Sung), Park Ji-Sung e Yeom Ki-Hun; Park Chu-Young (Seung-Yeoul) Tzorvas; Seitaridis; Papadopoulos e Vyntra e Torosidis; Tziolis, Karagounis e Katsouranis (Patsa); Gekas, Samaras (Salpingidis) e Charisteas (Kapetanos)
Técnico: Huh Jung Moo Técnico: Otto Rehhagel
Gols: Jungsoo, aos 7 do primeiro tempo; Park Ji-Sung, aos 6 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Torosidis, aos 11 do segundo tempo.
Estádio: Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth. Data: 12/06/2010. Horário: 8h30m (de Brasília). Árbitro: Michael Hester (Nova Zelândia). Assistentes Jan Hendrik Hintz (Nova Zelândia) e Tevita Makasini (Trinidad e Tobago)

Opinião Pessoal – Me surpreendeu esse resultado, achei que a Grécia era um pouquinho melhor.

Por A. Tiago – Nani da seleção portuguesa dopado ?

Fonte: Lancenet.com.br

Nani poderia estar dopado, diz imprensa portuguesa

Corte do jogador da seleção não ficou bem explicado

Motivo  alegado para corte de Nani da seleção foi uma lesão na clavícula

Motivo alegado para corte de Nani da seleção foi uma lesão na clavícula (Crédito: Reuters)

Record
Record ESPECIAL PARA O LANCENET

A lesão na clavícula que tirou Nani da Copa do Mundo ganhou ares de polêmica. Boatos de que o jogador estaria dopado e, por isso, teria sido cortado da lista de Carlos Queiroz circularam pela internet e por parte da imprensa portuguesa.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) se pronunciou e negou o fato, o que despertou curiosidade: por que dar atenção ao que eram apenas boatos? As suspeitas se reforçaram após a ida dos jogadores a um safári na África do Sul. Nani esteve com o grupo, mesmo lesionado, e aparentemente se movimentou de maneira normal para quem teve uma lesão como a dele. Amândio de Carvalho, vice-presidente da FPF, negou os rumores.

– Nani estava, de fato, lesionado. Vai ficar aqui (na África do Sul) o tempo que quiser. Temos muito gosto em tê-lo aqui, pois ele alegra os companheiros. Mas se quiser partir também pode – disse, contando como o jogador se machucou.

//

– O Nani se lesionou no treino após uma queda. Havia a esperança de uma recuperação, mas não foi possível – contou.

O diretor do Laboratório de Análises e Dopagem de Portugal, Luís Horta, também garantiu que os boatos não têm fundamento.

– Pelo menos nos controles realizados pela Autoridade Antidoping de Portugal não existe qualquer problema – disse ao “Record”, lembrando que a seleção portuguesa foi submetida a análises durante a preparação em Covilhã, antes da viagem ao país da Copa do Mundo.

APOIO

Mesmo cortado, Nani segue com seus companheiros e declara apoio total para a seleção portuguesa na Copa da África do Sul. No entanto, não esconde de ninguém a decepção por ficar fora da competição mais importante de sua vida.

Por Cleber Aguiar – André de saída do Peixe ?

Fonte: Lancenet.com.br

Presidente do Santos: ‘Estamos vulneráveis pelo André’

Luis Álvaro fala que renovação ainda não foi acertada e assédio da Europa pode pesar

André tem sido assediado por seis clubes da Europa (Foto: Ivan Storti)

André  tem sido assediado por seis clubes da Europa (Foto: Ivan Storti)

Klaus Richmond 

Nem Wesley, Neymar ou Ganso, a principal preocupação da diretoria santista é para tentar manter o atacante André, assediado por seis clubes da Europa.

Sem ainda formalizar um novo vínculo com o Santos, previsto até agosto de 2015 e com salários bem mais expressivos, o jogador, que ganha o menor ordenado entre os titulares, aproximadamente R$ 15 mil, já é apontado pelo próprio presidente santista como o ponto “vulnerável” entre as jovens promessas.

– Estamos mais vulneráveis. De fato o salário dele está defasado, tínhamos a princípio acertado esses números, mas quando surge o interesse de uma equipe estrangeira mexe com o atleta. É um obstáculo que enfrentaremos – explicou Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro.

O mandatário, por sinal, já admite que se o quadro for irreversível, o Santos estabelecerá um preço mínimo para a venda do atleta. O LANCENET! apurou que a proposta mais alta chega a 6 milhões de euros (R$ 13 milhões) e que a possível pedida do Peixe estaria abaixo da maior investida pelo atacante.

– Se for irreversível, vamos garantir um número que seja suficientemente atraente para o Santos e que possamos substituí-lo por um jogador de nível equivalente. Estabelecemos um teto mínimo se o atleta fizer questão de sair. Se abrir o meu valor, dou cartas para o inimigo. Vou continuar com o discurso que não quero vendê-lo – declarou.

Na última quinta-feira, Luis Álvaro afirmou ter recebido uma ligação de um representante do Dínamo de Kiev (UCR) e garante que a presidência não chegaram propostas oficiais. Assim como o jogador, o dirigente assegura que o camisa 9 fica, ao menos, até as finais da Copa do Brasil.