Corinthians ‘pesca’ o Peixe no Pacaembu

Corinthians ‘pesca’ o Peixe no Pacaembu

Em tarde de Bruno César, Timão goleia o Santos por 4 a 2 e mantém invencibilidade no Brasileirão

No duelo das dancinhas, o Timão se saiu melhor e “pescou” o Peixe no Pacaembu. Goleou o adversário por 4 a 2, e manteve a invencibilidade no Campeonato Brasileiro, com três vitórias e um empate.

O destaque do jogo ficou por conta do meia Bruno César, que participou do primeiro gol e marcou o segundo, que recolocou o Timão à frente do placar depois de sofrer o empate. Jorge Henrique, Ralf e Paulinho marcaram os outros gols alvinegros, enquanto André e Marcel fizeram os gols dos santistas.

Com o resultado, o Corinthians permanece líder do Brasileirão, agora com 13 pontos. Já o time da Baixada Santista caiu para a oitava colocação, com oito pontos.

O jogo

O Corinthians começou a partida engolindo o Santos no campo de ataque. Com Dentinho e Jorge Henrique abertos pelas pontas, sendo municiados pelo recém-contratado Bruno César, o Timão não precisou de muito tempo para abrir o placar do clássico. Logo no primeiro minuto de jogo, o meia chutou de longe, o goleiro do Santos deu rebote nos pés de Jorge Henrique, que só teve o trabalho de empurrar para a rede e levar a Fiel ao delírio.

O gol aumentou ainda mais o volume de jogo da equipe alvinegra, que continuou pressionando o Peixe, principalmente pela esquerda, com Dentinho, Roberto Carlos e Bruno César encostando. Aos 15, boa trama do trio resultou em um cruzamento perfeito do camisa 6 para Jorge Henrique na área, que mandou na trave.

O Santos, por sua vez, só conseguiu se encontrar em campo após os 20 primeiros minutos, quando o time de Parque São Jorge diminuiu o volume de jogo. Neymar só deu o primeiro chute dele no jogo aos 25 minutos, mas o suficiente para o Peixe crescer na partida. Um minuto mais tarde, Marquinhos tabelou com Neymar, invadiu a área e chutou forte. Felipe espalmou, mas André ficou com a sobra e tocou novamente para Marquinhos, que mandou no canto direito de Felipe, mas o juiz anulou o lance alegando impedimento do meia. Muita reclamação dos santistas e principalmente do técnico Dorival Júnior.

O panorama do jogo então mudou. Se antes o Timão comandava a partida, o time da Baixada adiantou a marcação e dominou o restante da primeira etapa, deixando a torcida corintiana apreensiva. Aos 38 minutos, o grito de gol ficou entalado na garganta dos santistas presentes no Pacaembu…

Marquinhos disparou pela intermediária e lançou Neymar na entrada da área. O goleiriro do Timão saiu do gol e tirou a bola com perna, mas ela sobrou para a Joia de novo, que tentou encobrir a zaga. A bola ia entrando quando o zagueiro Chicão saltou e conseguiu tirar de cabeça, evitando o empate quase certo.

Mas o primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Corinthians, mesmo com a pressão santista no final.

– É só o juiz controlar um pouco mais o jogo que não teremos dificuldade nenhuma – afirmou Roberto Carlos antes de descer para os vestiários.

As dificuldades até aumentaram no segundo tempo para o Timão, quando logo aos sete minutos, Marquinhos interceptou lançamento de Ganso, dominou entre dois zagueiros e deu lindo passe para André, que chutou cruzado e empatou o jogo para o Santos. Na comemoração, dancinha dos Meninos da Vila na frente das arquibancadas do Pacaembu, repletas de corintianos.

Porém, Bruno César tratou de descomplicar a vida do Corinthians dois minutos mais tarde. Jucilei cruzou na área e Edu Dracena cortou, mas a bola sobrou para o meia, que chutou com força, no meio do gol, e colocou o Timão à frente do marcador novamente. Festa do jovem jogador, festa da torcida e 2 a 1 no placar.

Jogando muito melhor e dominando novamente a partida, o Corinthians chegou ao terceiro gol aos 21 minutos, quando Dentinho tocou para Ralf, que driblou Léo, invadiu a área e chutou no canto esquerdo, marcando um golaço. Na comemoração, pescaria dos corintianos, numa clara provocação ao Peixe.

Ainda teve tempo para Paulinho, outro jogador recém-contratado do Bragantino, marcar o quarto gol de cabeça depois de cruzamento de Roberto Carlos e Marcel, do Santos, também marcar um gol de cabeça após cruzamento de Paulo Henrique e diminuir o placar.

Mas aí a torcida já comemorava a vitória e a invencibilidade no Brasileirão. Corinthians segue firme rumo ao penta!

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 4 X 2 SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 29/5/2010 – 16h
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP)
Auxiliares: Ednílson Corona e Vicente Romano Neto (ambos de SP)
Renda/público: R$ 825.707,50 – 27.681 pagantes
Cartões amarelos: William, Bruno César, Chicão (COR) Neymar (SAN)
Cartões vermelhos:
GOLS: Jorge Henrique 1’/1°T; André 7’/2°T; Bruno César 9’/2°T; Ralf 21’/2°T; Paulinho 41’/2°T; Marcel 42’/2°T

CORINTHIANS: Felipe; Jucilei, Chicão, William, Roberto Carlos; Ralf, Elias, Danilo, Bruno César (Paulinho 28’/2°T); Jorge Henrique (Iarley – 4’/2°T) e Dentinho (Paulo André – 46’/2°T). Técnico: Mano Menezes

SANTOS: Felipe; Pará (Marcel 20’/2°T), Edu Dracena (Zezinho – 37’/2°T), Durval e Léo; Arouca, Wesley, Marquinhos e Paulo Henrique; Neymar (Madson 17’/2°T) e André. Técnico: Dorival Júnior

Fonte: Lancenet

Por Allisson – Verdão só empata

Em jogo sem graça, Palmeiras só empata

Sem público em Barueri, Verdão não sai do zero com Grêmio Prudente e soma dois jogos sem vencer

Estádio vazio, time em má fase e a procurando reforços e um técnico. Com essas adversidades, o Palmeiras entrou em campo neste sábado pela quinta rodada do Brasileirão e não saiu de um empate sem gols com o Grêmio Prudente, na Arena Barueri.

Com o resultado, o Verdão ficou na quinta colocação do campeonato, com oito pontos ganhos. Já o Grêmio Prudente, que teve o segundo empate seguido na competição, já que havia empatado em 2 a 2 com o Corinthians no meio da semana, aparece na 15ª posição, com apenas cinco pontos.

Saiba como foi Flamengo x Grêmio

Confira ainda Avaí x Vitória

O jogo

O Palmeiras dominou todo o primeiro tempo. Com o meia Lincoln inspirado e Cleiton Xavier municiando bastante os atacantes, o Verdão teve ao menos quatro oportunidades de abrir o placar. Aos oito minutos, Vitor recebeu na entrada da área e chutou com força, mas o goleiro espalmou. Quatro minutos mais tarde, novamente o lateral recebeu na área e arriscou o chute, mas novamente Márcio livrou o Prudente do gol.

O Grêmio Prudente, aliás, teve no goleiro Márcio como o grande nome da partida, salvando três gols quase certos do Palmeiras. Em um deles, Danilo cabeceou a queima-roupa na pequena área, exigindo que o arqueiro se esticasse todo para evitar o gol. Marcelo Oliveira, que é lateral mas estava improvisado no meio de campo, também teve boa atuação. Deu passes precisos e armou as melhores chances do time prudentino, como em cobrança de falta aos 43 minutos, em que a bola passou rente a trave de Marcos.

O Verdão ainda teve um gol de Maurício Ramos anulado. O zagueiro ganhou a disputa pela bola em cobrança de escanteio e escorou para o gol, mas a arbitragem entendeu que o Ewerthon, em posição de impedimento, atrapalhou o goleiro Márcio no lance.

Mas a primeira etapa terminou sem gols e sem encantar muito os olhos do pequeno público presente na Arena Barueri.

O segundo tempo começou da mesma forma que terminou o primeiro: com o Palmeiras no ataque. Aos seis minutos, o volante Márcio Araújo arrancou pelo meio, driblou o zagueiro e chutou com força, mas Márcio pegou. Aos 12, novamente Maurício Ramos apareceu na área após cobrança de escanteio e chutou com força, a bola passou perto da trave esquerda do goleiro e saiu. Quase um golaço na Arena Barueri!

Depois disso, a bola começou a ser maltratada. Passes errados, falta de domínio, chutes tortos. E então, os técnicos resolveram colocar os dois times à frente. Toninho Cecílio tirou o meia Wesley para por o centroavante Tadeu, e Jorge Parraga fez o mesmo ao trocar Lincoln por Paulo Henrique. Mas na primeira jogada do camisa 56, ele recebeu sozinho na área e chutou cruzado, mas a bola foi para fora.

Aos 27 minutos, a chance mais clara de gol do jogo. Wanderley recebeu na cara de Marcos e deu um toque por cima do goleiro, mas quando a bola ia entrando o zagueiro Danilo apareceu e tirou, encima da linha, e evitou o que seria o gol prudentino.

Depois, o jogo voltou a ficar monótono. O Grêmio Prudente, que teoricamente atuava fora de casa, segurou o empate durante o final do jogo, enquanto o Palmeiras relaxou.

Mais um jogo sofrível do Palmeiras, mais uma partida sem vitória no Brasileiro e mais um dia de agonia para o torcedor alviverde.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 0 GRÊMIO PRUDENTE

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 29/5/2010 – 18h30
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP)
Auxiliares: Emerson A. de Carvalho e Anderson José Coelho (ambos de SP)
Renda/público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Rodrigo Mancha (GRE)
Cartões vermelhos:
OLS:

PALMEIRAS: Marcos; Vítor, Maurício Ramos, Danilo, Gabriel Silva (Eduardo – 13’/2°T); Pierre, Márcio Araújo, Cleiton Xavier, Lincoln (Paulo Henrique – 20’/2°T); Vinícius (Ivo – 29’/2°T) e Ewerthon. Técnico: Jorge Parraga

GRÊMIO PRUDENTE: Márcio; Diego, Leonardo, Paulão, Sasha; Rodrigo Mancha, João Vítor, Marcelo Oliveira, Wesley (Tadeu – 20’/2°T); Flavinho (Carlos Eduardo – Intervalo) e Wanderley (Henrique Dias 35’/2°T). Técnico: Toninho Cecílio.

Fonte: Lancenet

Por Rogerinho – Bate Bola com Xandão

Aos 22 anos, zagueiro é o mais recente fruto de Campinas que dá certo no Tricolor

Com a  ausência de Miranda, Xandão vem crescendo e ganhando bastante espaço

FONTE – LANCENET

Campinas, a cerca de 100 quilômetros da capital, já foi considerada um dos maiores celeiros de craques do futebol nacional.

Para o São Paulo, por exemplo, formou jogadores com o garbo de Oscar, Luís Fabiano, Mineiro e o próprio Alex Silva, oriundos da Ponte Preta, além de Renato “Pé Murcho”, Careca, Luizão e Amoroso, revelados pelo rival Guarani.

Neste domingo, às 16h, no confronto entre São Paulo e Guarani, com transmissão em tempo real pelo LANCENET! , o último grande aluno exportado pela cidade campineira para o Tricolor volta ao Brinco de Ouro: Xandão. Nascido em Araçatuba e levado para o Bugre aos 17 anos, ele admite que a cidade que o acolheu foi como uma grande escola.

– Ali começou tudo para mim, foi minha primeira oportunidade em clubes. Aprendi muito, tirei lições de vida, não só como jogador, mas como pessoa. Foram quatro anos e uma experiência enorme.

Curiosamente, foi Renato, meia do Tricolor entre 1980 e 1985, que o aprovou em seu primeiro teste.

– Foi trazido para o clube e logo vimos um futebol brilhante. Com boa recuperação, acertou a nossa defesa – disse Renato, vice-campeão estadual sub-17 com Xandão.

A razão para a vocação da cidade para a formação de jogadores pode estar na base da educação. Juntos, jogadores da Macaca e do Bugre dividem as salas de aula do colégio Prof. José Vilagelin Neto.

– É uma escola que fica entre os dois estádios. A maioria dos jogadores da base são matriculados lá. Acontecia algumas amizades, mas bastante brigas também (risos) – disse o camisa 13, que garante nunca ter se envolvido em confusões.

– Eu era um bom aluno. Gostava de estudar. Meu forte era matemática, sempre gostei muito dos números – garante o jogador.

Os da defesa, por exemplo, só trazem alegria para o defensor. Na Libertadores, foram só dois gols sofridos em dez jogos. No Brasileirão, três em quatro partidas. Com cada vez mais espaço no time, ele faz as contas para o heptacampeonato.

Afinal, se teve em Campinas sua escola, no Tricolor é hora de Xandão tirar o diploma da faculdade. E, por consequência, hora de conquistar títulos de pós-graduação.
Bate-Bola com Xandão

LANCENET!: Como foi parar no Guarani?
XANDÃO:
Zecão, preparador físico do Guarani, era de Araçatuba, minha cidade, e me conhecia de escolinhas. Fui para avaliação, fiquei três semanas e passei.

LANCENET!: Como foi essa experiência?
XANDÃO:
Cheguei com 17 anos. Fiquei dois anos no juvenil e, em 2007, fui para o profissional. Conquistamos o acesso na Série A2 e, em 2008, o título da Série C do Brasileirão. Fiquei quatro anos lá, onde conheci a Roberta, minha noiva e futura esposa.

LANCENET!: Quais as melhores lições?
XANDÃO:
Aprendi os meus fundamentos no Guarani, a ter noção tática. Devo muito ao clube e aos meus treinadores, que me ajudaram. Foi o começo de tudo.

LANCENET!: E os grandes professores?
XANDÃO:
Quem me aprovou foi o Renato, no juvenil. Ele me ajudou muito na época. Outros foram o Cidinho e o Júlio Piza. Pessoas que me deram a mão no início.

LANCENET!: Quem mais estudava com você na escola de Campinas?
XANDÃO:
Tinha o Dênis (goleiro reserva do São Paulo), o Marcelo Oliveira (Grêmio-PP), o volante Roberto que foi para o Celta de Vigo (ESP), o Roncatto, hoje no Belenense (POR), e outros.

LANCENET!: Se Campinas foi a escola, o São Paulo é a faculdade?
XANDÃO:
Sim. Já aprendi muito em cinco meses de clube. Não tem como não tirar lições dos líderes, como Rogério e Fernandão. Está sendo uma ótima faculdade.

Opinião Pessoal – Xandão foi uma ótima surpresa, do pacotão do início do ano de contratações ele foi o que deu mais certo, Fernandão chegou agora.

Por Rogerinho – São Paulo muito desfalcado contra o Guarani

Olá Icfutistas

Direto ao ponto: São Paulo entra em campo com time mais desfalcado do ano.

O provável São Paulo para o jogo de domingo contra o Bugre: Rogério Ceni; Renato Silva, Alex Silva e Xandão; Wellington, Jean, Hernanes, Jorge Wagner (Marcelinho Paraíba) e Junior Cesar; Dagoberto e Fernandão. Nessa escalação, diga-se de passagem, um time forte; não estariam os titulares absolutos de Ricardo Gomes: Cicinho, Miranda, Richarlyson, Rodrigo Souto e Marlos, ou seja, cinco desfalques.

Caso seja esse mesmo o time de domingo poderemos testar a força do elenco Tricolor e a capacidade de Ricardo Gomes em superar as adversidades. Gosto do time em questão e acho que Wellington e Renato Silva teriam uma merecida oportunidade, Jean novamente iria jogar como primeiro volante se firmando como reserva de Rodrigo Souto e gostaria de ver Marcelinho Paraíba como titular, Jorge Vagner em seus melhores momentos no Tricolor atuou como ala pela esquerda não como meia, e eu digo mais, deixaria Paraíba jogar e durante o jogo daria uma chance a Sérgio Motta, acho que esse garoto tem qualidade e merece ser pelo menos testado. O Guarani também vem muito desfalcado, por força de contrato que eu acho uma bobagem, os atletas que pertencem ao Tricolor: Roger que é artilheiro; Renan que é o capitão da equipe e Mazola que vem jogando muito bem não estarão em campo.

Espero que domingo, independente do time que entre em campo, o Tricolor consiga trazer os pontos do Brinco de Ouro já que com uma combinação de resultados o Tricolor pode terminar a rodada no G4, e Ricardo Gomes tem como meta parar para a copa com o time no grupo dos melhores.

Acho que o São Paulo tem totais condições de ganhar esse últimos 3 jogos e erminar essa fase antes da Copa do Mundo no G4, vamos São Paulo, vamos ser Campeão.

Por Icfut

Falta só um Pouquinho !

Treinador chegaria após a Copa do Mundo para receber R$ 720 mil mensais

Desejado pela diretoria do Internacional para substituir o técnico Jorge Fossati, Felipão já teria acertado salário com o clube colorado segundo informações da Rádio Gaúcha.

Fontes ligadas a familiares de Luiz Felipe Scolari dizem que o treinador chegaria a Porto Alegre após o término da Copa do Mundo para ganhar R$ 720 mil por mês.

Felipão confirmou nesta sexta-feira, mesmo dia em que Fossati foi demitido do colorado, sua saída do Bunyodkor, do Usbequistão.

Fonte Lancenet.com