Por Cleber Aguiar – Papão bate Remo e vence 1º turno Paraense 2010.

Fonte: Diário do Pará

Papão detona o Remo no primeiro jogo da final

Esqueça aquele time do Paysandu que só acordava após o primeiro tempo. Esqueça também a invencibilidade do Remo no primeiro turno do Parazão. O segundo Clássico-Rei da Amazônia do ano,

realizado ontem no Mangueirão, foi de inversões, pois quem começou nervoso foi o Filho da Glória e do Triunfo, enquanto o Papão, embalado pelas mudanças efetuadas no comando técnico, se mostrou um time novo, não apenas pelos recentes reforços que embarcaram no time, mas pelo futebol que apresentou. O resultado do confronto que valia os primeiros 90 minutos da decisão da Taça Cidade de Belém foi favorável aos bicolores, que conseguiram reverter a vantagem azulina, com um placar de 4 a 2.

A estrela do novo técnico bicolor, Charles Guerreiro, começou a brilhar logo na etapa inicial, quando Didi, que era dúvida para a partida, finalmente desencantou e abriu o placar, apoiado por Thiago Potiguar, que apesar de falhar no início, ao perder um gol claro, se redimiu e foi peça importante para a vitória. Só que Didi queria mais e, depois que Moisés marcou o segundo do

alviceleste, o amigo de Cabañas teve o mérito de marcar o centésimo gol do certame e desabafou. “Para quem estava fora do jogo, vir para um Re-Pa e fazer dois tá bom, né?”, questionava.

Aparentemente sim, mas o placar de 3 a 0, com direito a expulsão de um imaturo Raul, que deu uma cotovelada em Didi, não tirou o ânimo dos até então invictos azulinos, que conseguiram fazer o primeiro gol ao fim da etapa inicial, com Marciano, de pênalti.

No segundo tempo, o Leão voltou para a partida disposto a fazer valer a melhor campanha do turno e, logo no início, encostou no placar com Heliton. Com o resultado de 3 a 2, o que se viu foi um jogo equilibrado, mesmo com os remistas tendo um homem a menos. O jogo foi lá e cá. Com muita pressão do time de Sinomar Naves no fim da partida, o inspirado Moisés, que não raro apronta depois dos 40 minutos, fechou o resultado da partida. Paysandu 4, Remo 2. Fim do jogo, início de chuva. Seria a turma do céu, ajudando a lavar a alma alviceleste? Afinal, o Paysandu conseguiu quatro feitos: tirar a vantagem do Remo, quebrar a invencibilidade do rival, ir para a próxima partida podendo perder por até um gol de diferença e, o mais importante, convencer a Fiel sobre o que tenta desde o início da temporada… Eles podem chegar lá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s